sábado, 23 de janeiro de 2010

Chico Xavier: ano Cem


Selo comemorativo do centenário de Chico Xavier

Entramos no ano de 2010. Seremos bombardeados com notícias na grande mídia sobre a Copa do Mundo, logo após o Carnaval (o Chico morreu no ano do Penta). Mas acima de tudo, na minha opinião, é a oportunidade de reaproximar a comunidade espírita e não espírita da personalidade Chico Xavier., que nasceu em 2 de abril de 1910. Em comemoração ao centenário de seu nascimento eventos, fóruns, discussões e tantas outras ações estão previstas. Mas eu particularmente quero falar do Chico que conheci, ainda que apenas de "passagem" pelo C E Perseverança onde comparecia todos anos, durante décadas. Enganam-se aqueles que imaginam um chico "fraco", que todos precisavam "proteger". Chico possíua uma doçura e ao mesmo tempo uma autoridade inquestionável em suas palavras e em sua simples presença. Humor inteligente, conhecimentos imensuráveis sobre assuntos os mais diversos. Muitas pessoas acreditam que sua sabedoria vinha apenas de Emmanuel, seu orientador espiritual. Engano. Seu espírito maduro sabia expor sem arrogância altos conceitos científicos, morais, espirituais, psicológicos. Sempre com um "jeitinho mineiro - maneiro". Para além dos fenômenos, sua personalidade humana em geral, se parecia assim com um parente querido com quem gostaríamos de tomar café com bolo e jogar conversa fora, ouvir causos e aprender sobre a vida. Guardava no fundo de sua casa coisas  de que não queria se desfazer, objetos antigos e sobre cada um deles uma história engraçada, uma emoção preservada . Era sempre assim. Marcel Souto Maior em sua biografia "As vidas de Chico Xavier", relata que certa vez, uma senhora chegou a Chico dizendo que em outra encarnação ela teria sido Maria Antonieta. Resposta de Chico: "é verdade, minha irmã, pois as lavadeiras já estão todas no céu". Era assim. Quero transcrever aqui uma mensagem recebida quando Chico ainda estava entre nós. Euricledes Formiga (1924-1983), médium, pesquisador da cultura popular, escritor e juiz, fala em uma mensagem psicografada,sobre Chico Xavier, seu amigo, instrutor e companheiro de mediunidade e de "graças", pois Formiga quando encarnado,  era espirituoso como todo poeta nordestino que se preze..

Mensagem de Eurícledes Formiga sobre Chico Xavier, psicografada em 29/03/1999
"[...] Olho por todo o mundo, nas viagens que faço em minhas múltiplas tarefas e onde estou contemplo reluzir a luminosa estrela, ora representada numa simples fotografia de sua figura humana, ora na mente esclarecida de qualquer irmão em terra distante e que já teve a bendita oportunidade de meditar a respeito de qualquer um de suas centenas de obras.Ele é intraduzível em tudo!

É o representante íntegro da humildade, o exemplo do perdão, o verdadeiro símbolo do amor, a figura maior da caridade, espelho da simplicidade,. Acresce anotar, todavia, Francisco Cândido Xavier, de toda a esfera carnal  a toda a erraticidade nesse milênio é o Apóstolo da Verdade, Obreiro da Vida Eterna.

Seu esforço e sua missão de servidor dedicado vem salvando , tanto os espíritos  que surgem do sepulcro ã vida Maior, quanto almas que renascem  da Espiritualidade Infinita para a experiência terrena.

É visto por todos os âmbitos como farol da Doutrina Renovadora.

Falar de Chico, ou sobre Chico, é orar, simplesmente. É elevar o padrão vibratório, é sintonizar com Jesus, porque Chico é ligação direta com o Mestre e Senhor de nossas vidas!

Pensem e reflitam, quão abençoados todos nós somos pela pequena  ou distante convivência no orbe, ou pela razão de nos acharmos tão próximos  daquele que é o Mensageiro da Vida e de Jesus no mundo.

Caravanas de milhares de espíritos seguem-no agradecidos por um único esclarecimento, por uma atitude exemplificada, outros tantos que através de suas mãos descobriram a naturalidade da vida eterna, ajoelham-se diante de Jesus para orar em seu nome.

Francisco Cândido Xavier, o nosso frágil e pequeno Chico, ( como ele mesmo diz) , com a aura medida e constatada  cientificamente ao s olhos físicos com tantos metros de diâmetro é poço profundo de humildade, sacerdote do amor.

A sua mediunidade é paisagem aberta, horizonte sem medida, bússola aos náufragos, navegantes e  perdidos  em si mesmo, oásis cristalino de beduínos cansados do deserto escaldante de incertezas e dúvidas.

Como frisei no início, sou o Formiga agora, igual à vocês e posso relembrar, bem à vontade, minha memorável  e primeira visita a Uberaba, ao lado de Annabel, na condição de "mendigo," prisioneiro de minhas fiéis e duras imperfeições. Quieto, estacionei-me na multidão, cabeça baixa, mão coladas uma à outra, olhos cerrados pela vergonha em minhas divagações, coração doído pelas dúvidas, presença quase imperceptível.  A voz soou ao microfone qual música sonora em estilo clássico, chamando-me. Em estado de susto guiei-me por aquela figura franzina e iluminada, e ali,diante dele, a frase inesquecível: “Formiguinha de Luz, há muito tempo lhe esperava”!

Foi o primeiro instante de renovação. Iniciei minha luta chegando ao Perseverança  pronto para entrega total, sem olvidar a voz  de pássaro que soa em meu ouvido  cada vez que a memória se aclara na doçura daquele dia.

[...] Sintam-se como eu agradecido em júbilo! Chico estará em outras esferas, estivemos com ele na esfera carnal. Pensaremos assim sobre esta benção."

A lembrança dos cem anos de nascimento  de Chico Xavier fortalece sua vibração no mundo, mas de modo especial sua energia vibra mais forte dentro de nosso coração.
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...