Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2009

Dona Edelarzil: Milagres com algodão e naturalidade

Imagem
Dona Ederlazil não é espírita.  Ela tem um raro dom:  faz materializações e transporte de objetos distantes, onde quer que estejam, para sua peneira com algodão. A casa, Caminho e Luz é um local rústico, sem nenhum aparato especial, na zona rural, nos arredores de Votuporanga. Ao chegar lá pela primeira vez, por mais que digam sobre os fenômenos que acontecem, não temos verdadeira idéia até entrar na sala de atendimento.  Em primeiro lugar é preciso não ter prconceitos, nem arrogância. Não há ainda como explicar as coisas que acontecem ali. Se não nos conformarmos com isso só há uma saída: pesquisar profundamente. Negar é praticamente impossível. Aos espíritas que acham que para tudo tem uma explicação na doutrina, devo dizer que Kardec cita no livro dos mediuns, o "transporte" como  um tipo raríssimo de mediunidade. Mas como isto acontece? Eis a questão a se descobrir.
O objetivo do trabalho de dona Edelarzil é libertar as pessoas de problemas e energias mais pesadas. Uma li…

Profecias ou alertas? A palavra de Jesus, a revelação de Emmanuel

Imagem
Quando lemos o livro Há dois mil anos..., a história envolvente, a trama bem urdida nos chama sempre mais a atenção para o aspecto romanesco do livro. Existem pesquisas que o analisam dos pontos de vista histórico e antropológico, devido às preciosas e precisas informações que traz sobre a vida na Roma antiga. Entretanto, se essa narrativa apresenta algumas informações muito interessantes para entender o passado, também nos oferece diversas dicas sobre o presente, inclusive "previsões" ou "profecias" para o futuro. Tais indicações sobre o futuro passam despercebidas na maior parte das vezes, já que se inserem em meio ao ápice da história, na qual Lívia morre devorada por leões e é levada ao Plano Espiritual em um local de muita luz, onde ela, juntamente com outros mártires, recebem a visita pessoal de Jesus. Vou citar alguns trechos marcantes, que bem ilustram esta fresta aberta para o futuro de ontem, que já chegou e é hoje.

"(...) Num dia de rara e indefiníve…