segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Dona Edelarzil: Milagres com algodão e naturalidade



Dona Ederlazil não é espírita.  Ela tem um raro dom:  faz materializações e transporte de objetos distantes, onde quer que estejam, para sua peneira com algodão. A casa, Caminho e Luz é um local rústico, sem nenhum aparato especial, na zona rural, nos arredores de Votuporanga. Ao chegar lá pela primeira vez, por mais que digam sobre os fenômenos que acontecem, não temos verdadeira idéia até entrar na sala de atendimento.  Em primeiro lugar é preciso não ter prconceitos, nem arrogância. Não há ainda como explicar as coisas que acontecem ali. Se não nos conformarmos com isso só há uma saída: pesquisar profundamente. Negar é praticamente impossível. Aos espíritas que acham que para tudo tem uma explicação na doutrina, devo dizer que Kardec cita no livro dos mediuns, o "transporte" como  um tipo raríssimo de mediunidade. Mas como isto acontece? Eis a questão a se descobrir.
O objetivo do trabalho de dona Edelarzil é libertar as pessoas de problemas e energias mais pesadas. Uma limpeza espiritual e até mesmo de problemas físicos.
Ao chegar na Casa a pessoa desfia o seu próprio algodão, pensando no que deseja para si ou para quem  está realizando este trabalho.  Estes algodões desfiados são colocados em caixas e são utilizados para a produção do fenômeno.
Dona Edelarzil coloca um montante deste algodão na peneira, molha e simplesmente retira dali, com muita naturalidade e rapidez,  objetos diversos. São embrulhados em um jornal e colocados na sacolinha própria para cada pedido ou pessoa para quem se pede a limpeza. Rápido e sem efeitos especiais ou meia luz. Das 32 pessoas que entram por vez, vemos coisas impressionantes. Objetos muitas vezes maiores que a própria peneira. Aparecem, por exemplo,. objetos pessoais que estavam em algum local emanando energias ruins para a pessoa (trabalhos em cemitério, por exemplo). Também outros objetos são materializados ali, e não transportados,  que são metáforas do tipo de energias que a pessoa atraiu para si mesma ou que a estão prejudicando. É como se as próprias energias negativas se transformassem em algum objeto.Ao sairmos da sala levamos os objetos para a área externa onde podemos analisá-los, verificando em um folheto seus significados. Não convém trazê-los consigo, pois serão incinerados lá mesmo. E ainda uma curiosidade:  não há cheiro nas coisas enquanto estão ali. Mas se você se arriscar a levar para casa,  o mau cheiro torna-se insuportável. Foi o que disseram e eu acreditei. Para que trazer de volta algo de que queríamos nos livrar? Muitas pessoas se chocam, pois achando-se "do bem" não se agradam do que sai para si do algodão.. Segundo a médium., todos nós, por estarmos mergulhados neste mundo cheio de energias conflitantes e inferiores sempre temos algo a retirar que nos pesa na alma,  na vida ou no corpo. Alguns exemplos do que vi sair do algodão: queixada de bode, peças de carro, vidro, sapo, velas de diferentes tipos, cores e formatos,  caco de vidro, ossos diversos, bonecos amarrados, fotos, objetos pessoais. E  entre estes últimos, reconheci em uma de minhas sacolas uma peça de roupa da pessoa da familia cujo nome levei.
Fraude? Quem quiser negar o fenômeno, que explique então a fraude....
Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...