Considerações de passagem

Reflexões Sobre a doença

1. A religião nos dá plena segurança, mas ao mesmo tempo é preciso cuidado para não identificar que alguns têm o privilégio de se curar porque merecem ou têm mais fé ou são especiais. Isto é uma armadilha que alimenta a arrogância. Penso que Deus faz vários investimentos em nosso potencial e aposta na cura quando esta pode trazer mais beneficios para o espírito e para os que estão em seu entorno. Mas a vitória não é a cura em si. A vitória é a pernanência na luta, é mesmo com o corpo na cama manter o espírito em pé. Muitos se curam e são vitoriosos e muitos morrem e são vitoriosos. Nascer e morrer é da vida, o sentido de derrota está em nossa visão de mundo. Bem, de qualquer forma os que se curam mantém a esperança de todos em dias melhores. E esta esperança acalma e fortalece, oferece horizontes, mas nunca certezas. Como espírita, acho que Deus nunca castiga e tudo o que vivemos são experiências válidas que nos fazem evoluir. E finalmene, em relação ao investimento de Deus em nós, faz crescer a nossa responsabilidade e consciência de agir no mundo. Tenho que ser uma pessoa transfomrada para melhor, mais madura, mais solidária e compreensiva com a dor alheia. É o atestado de vida.

2. As pessoas têm limites. Algumas pessoas enxergam inconscientemente na doença do outro a sua própria finitude. Então, se afastam, como um mecanismo de defesa. Não podemos criticá-las ou ficar magoados. A finitude do corpo assusta a alma. Mas por outro lado, todas os vinculos se reconfiguram e se fortalecem e se desvelam. E saimos sempre ganhando, ao final. Temos clareza dos laços que nos unem a outras pessoas e o papel dde cada uma delas em nossa vida.'

3. Embora exista um senso comum que diz que algumas emoções. automaticamente desencadeiam certas doenças, isto não é um fato linear. Determinados modos de vida inadequados favorecem o surgimento de doenças e aliados a certas emoções as chances aumentam. Mas certas doenças fazem parte do contexto em que vivemos ou no nosso plano de vida. Então, é ruim que a pessoa fique achando que ela criou de propósito esta ou aquela doença. E, uma vez doente, tem que se buscar a cura. Esta cura envolve necessariamente uma nova postura diante da vida, e o redimensionamento das prioridades.

4 Nos momentos de reflexão que a doença propricia é preciso perdoar-se e entender-se. Em todas as fases da vida fazemos o que melhor nos parece. E quando observamos os fatos do passado, com olhar do presente, esquecemos o quanto mudamos a nossa ótica em todos estes anos.

5. O Amor que recebemos e que doamos às pessoas se potencializa em favor da nossa cura e de nossa vida, eterna vida
1 comentário